Lembra-se da sua adolescência?

A adolescência é a fase das certezas absolutas, das lutas por ideais ou somente para se marcar uma posição. É o tempo em se firmam as opiniões próprias. É quando se grita ao mundo “EU EXISTO!”.

Para quem lida com os adolescentes nem tudo é assim tão bonito. Começam as guerras, os desafios constantes, os gritos. Olha-se para aquele ser e pergunta-se que é feito do/a filho/a que se tinha poucos meses antes.

Lidar com a adolescência não é uma ciência exata, mas aqui ficam umas dicas.

  • Conversar muito e sobre tudo. Dar total atenção ao filho quando este quiser conversar. Esse momento é dele e para ele.
  • Saber ouvi-lo com calma e evitar a tentação de lhe dar lições de moral. Não tem de concordar com ele, mas sim tentar compreendê-lo. Está, assim, a criar espaço para que ele o procure para conversar sobre as suas ideias.
  • Atenção às proibições severas. A necessidade de transgredir as imposições dos pais e quebrar as regras é muito grande.
  • Não criar portas para a existência de rivalidades. Chocar com um filho adolescente ou colocar-se numa posição muito superior só vai criar um afastamento maior.
  • Não insistir em conversar quando estão zangados. Deixar para mais tarde, quando ambos estiverem mais serenos, e aproveitar esse tempo para pensar na atitude que quer tomar.
  • Ser firme com os filhos, mas cuidado para que não se perca o respeito.
  • Ajudar a que ele/a acredite no seu próprio potencial, valorizar as suas características positivas e incentivá-lo.
  • Dar bons exemplos, os adolescentes costumam reproduzir comportamentos.
  • Ser claro e coerente. Os adolescentes precisam de saber exatamente o que se espera deles e que consequência terão se desobedecerem.
  • Ser mais flexível e dar-lhe mais liberdade. Demonstrar que confia nele.
  • Preocupar-se com o caráter de seu filho, os seus valores. O seu objetivo não deverá ser apenas fazer com que o seu filho lhe obedeça, mas ajudá-lo a desenvolver uma consciência saudável.
Menu