Alimentação acessível e saudável

Hoje em dia está na moda falar sobre alimentação, e as preocupações sobre como comer, quais os melhores alimentos e teorias sobre emagrecer populam por sites, blogs e artigos na Internet e revistas da especialidade.

Uma boa alimentação, acessível e sustentável não tem de passar por alimentos “especiais”, “ricos em “, “lights”, ou “superalimentos”. Uma dieta equilibrada, também não tem de ter um nome específico, privilegiar um único nutriente ou alimento, e é muito mais simples fazer uma alimentação equilibrada do que a indústria nos faz parecer.

Os bons alimentos não precisam de se associar a uma marca, e devem estar o mais próximo possível da terra, da natureza, o que significa que devem ser o menos processados possível.

Os alimentos que devem ser a base da nossa alimentação são os alimentos de origem vegetal. Pelo menos 75% da nossa alimentação devia de ser constituída por alimentos de origem vegetal, ou seja, os cereais, os hortícolas, as leguminosas, a fruta. Não estou a dizer que precisamos de ser vegetarianos, mas que ¾ da nossa alimentação deve ter uma base vegetal.

Depois, em quantidades menores, devem entrar também, os lacticínios a carne, os ovos, o peixe. O nosso padrão alimentar é inverso, comemos muito mais carne do que precisamos, muito mais proteína animal do que vegetal, e isto cria uma pressão enorme sobre o nosso organismo, em particular sobre o fígado e os rins, contribuindo para as doenças cardiovasculares, cancro, obesidade, entre outras. É só olhar para o prato do almoço e do jantar, as travessas ou as panelas, o que está normalmente em maior quantidade ?

No que se refere aos cereais, a tendência é optar por maus cereais, refinados ou carregados de açúcar, e os hortícolas não lhes damos o devido espaço e importância no prato, o que também se associa a diversas doenças. No final, procuramos fórmulas milagrosas para resolver tudo isto.

Temos de parar para refletir, refletir sobre a saúde que queremos, o estilo de vida que queremos, o futuro que queremos para nós, e para os nossos filhos. Um padrão alimentar centrado nos alimentos de origem animal não é bom para a saúde, mas acima de tudo não é bom para o planeta. Temos de reeducar o nosso palato e educar as nossas crianças para alimentos de verdade, num padrão alimentar realmente equilibrado.

Cláudia Viegas

Nutricionista
Menu